Como estudar e entender o robô do Google? [+10 dicas estratégicos para implementar na sua página]

O chamado “robô do Google” já se tornou um termo bem conhecido entre os usuários dos motores de busca, principalmente entre os criadores e administradores de sites que buscam melhores posicionamentos na página de resultados.

Você já pensou em como é possível digitar qualquer palavra no Google, apertar Enter e receber como resposta uma lista imensa de milhares, quiçá milhões, de sites prontinhos para a sua navegação?

Tudo isso é possível graças ao robô do Google, também conhecido como “bot”, “crawler” ou o infame “algoritmo”. Seu trabalho é fazer uma varredura extensa por toda a internet, por assim dizer, e compilar todas as páginas públicas novas ou atualizadas.

A lógica do robô do Google é relativamente simples. Pense nele como um bibliotecário, cujo trabalho é pegar todos os livros que entram na biblioteca e colocar cada um deles em seu lugar em ordem de relevância — ao mesmo tempo em que cataloga um por um. Toda biblioteca tem os seus próprios critérios e maneiras de catalogar os livros.

O Google bot faz a mesma coisa: cataloga, ou indexa, as páginas online, e tem seus próprios critérios para desempenhar essa tarefa. Esses critérios também são chamados de diretrizes, que dão um direcionamento para os administradores de sites adequarem suas páginas para que sejam bem posicionadas pelo robô do Google na página de resultados.

Porém, somente saber que o “robô do Google faz tudo” não é o suficiente para criar as melhores estratégias para que seu site alcance visibilidade e autoridade. Vale a pena conhecer como esse bot, em particular, funciona. Afinal de contas, a melhor forma de obter as vantagens que uma ferramenta oferece é conhecê-la bem.

Portanto, veja a seguir o que é o robô do Google e como seu rastreamento online funciona. Saiba as formas que esse bot tão famoso pode impactar nos sites e como saber se ele consegue rastrear o seu. Conheça também sobre a utilização do robots.txt e veja quais são as suas principais diretivas!

Entenda o que é o robô do Google

O robô do Google tem vários nomes. Popularmente chamado de “algoritmo”, também é conhecido como “spider” ou “crawler”. Ele tem esse nome em função de sua principal atividade, que é “rastejar” pelo universo da internet enquanto rastreia todas as bilhões de páginas disponíveis online.

Entenda o que é o robô do Google
Fonte/Reprodução: original

Leia também: Como construir autoridade na internet somente com tráfego orgânico? [3 estratégias para implementar no seu site]

Vale ressaltar que o robô do Google não é o único crawler com essa função. Os buscadores do Yahoo, do Bing e de outras plataformas usam programas da mesma natureza, que também servem para fazer buscas orgânicas.

Googlebot

Googlebot é outra forma de chamarmos o “robô do Google”. O Googlebot fica ativado o tempo todo, uma vez que a todo tempo, em todo mundo, bilhões de pessoas usam a internet, seja para publicar ou acessar conteúdos. Então, o Googlebot desempenha uma função dupla, nesse sentido.

Por um lado, ele varre a internet e busca as páginas novas ou atualizadas, de forma a indexar as mesmas. É o processo de colocar página por página em um grande índice virtual. Por isso a analogia do bibliotecário funciona tão bem. Mas o que é o índice do Google? A resposta mais simples é um imenso banco de dados, onde informações pertinentes a cada página são guardadas.

Essas informações podem ser o título do texto, o formato do conteúdo, a inclusão de imagens, os tipos de links (internos ou externos), a meta-descrição, a URL, entre outras.

Obviamente, com tantas páginas a serem examinadas e avaliadas diariamente, há vários Googlebots que funcionam em muitos computadores simultaneamente. De outra forma, o programa não daria conta.

Funcionamento do rastreamento do robô do Google

Quando nos referimos ao processo de rastreamento do robô do Google, é comum surgir a seguinte pergunta: de onde isso começa?

Na prática, todo rastreamento atual não começa do zero, mas a partir de uma lista de URLs vinda do último rastreamento. Um fato interessante é que os próprios webmasters podem contribuir para a atualização das listas de URL. Basta enviar os seus sitemaps de forma direta pelo Search Console.

Uma vez com essa lista feita, o robô do Google varre, isto é, visita cada um dos sites presentes nela. Em cada página, o bot detecta os links e os coloca em uma espécie de “fila de espera”, na qual ficam novas páginas a serem rastreadas.

À medida que novos conteúdos são encontrados pelo bot, assim como links quebrados ou atualizações na página, tudo isso é mandado para o índice. É o processo de indexação.

Google Search Quality

A qualidade de todas as páginas varridas pelo bot é um fator muito importante para o Google. Por trás de todas as atualizações e diretrizes, a maior intenção é melhorar a experiência do usuário. Por isso, o Google age para punir e tirar do ar sites maliciosos, que lançam spam ou tornam a navegação inconveniente para o usuário.

Toda vez em que um usuário usa o buscador, o robô do Google procura por sites que usem aquelas palavras-chave, sinônimos ou palavras no mesmo universo semântico. A intenção é trazer, na página de resultados, os melhores sites possíveis para atender as necessidades do usuário.

O SEO é, definitivamente, primordial para que um site seja bem classificado no Google. Mas, no caso do Google Quality Search, a prioridade deve ser a relevância e qualidade dos conteúdos apresentados.

Como o robô do Google impacta os sites?

Uma vez conhecido o que é o robô do Google e como ele funciona, é possível entender, por lógica, o impacto que ele tem sobre os sites.

Devemos lembrar que o Google responde por 90% das buscas feitas online. Ter o seu site indexado pelo robô do Google significa que você entra nessa gigante “biblioteca” e, assim, obtém a possibilidade de ser visto por um usuário que procura algo que o seu site pode entregar. A consequência disso é um aumento de tráfego orgânico para seu site.

Porém, é necessário seguir as diretrizes de conteúdo e aplicar as estratégias de SEO, para que o seu site fique bem posicionado no SERP, sigla que se refere à página de resultados do Google. Vale ressaltar que cerca de 80% dos usuários nem sequer vão além da primeira página do SERP.

Como saber se o robô do Google consegue rastrear seu site?

Já que fica claro o quanto ter o seu site rastreado pelo Google é importante, resta a dúvida sobre como fazer isso. Em primeiro lugar, o formato deve ser HTML, pois é esse o formato que o bot rastreia.

Em seguida, é necessário ver se o robots.txt não tem restrições para o bot do Google. O robots.txt é um arquivo que fica no cerne de um site, e que define os diretórios e páginas.

Quando um site ainda está em fase de testes, é comum que seja configurado com restrições. Mas você deve lembrar de tirá-las, para não tornar o seu site um obstáculo para o rastreio do bot.

O que ocorre se bloquear ou dificultar o trabalho do robô do Google no site?

Nesse caso, se o site ser rastreado e indexado pelo Googlebot é a principal forma de obter tráfego orgânico — ou seja, sem a necessidade de anúncios —, dificultar o trabalho do bot produzirá efeito contrário.

Caso o seu site esteja bloqueado para o trabalho do robô do Google, você perde uma oportunidade absurda de obter tráfego orgânico. Nesse caso, investir em bom conteúdo e SEO é realmente um desperdício de esforços.

10 dicas para elaborar estratégias de Marketing Digital e Vendas Online com o algoritmo do Google

Veja agora 10 dicas para elaborar estratégias avançadas de Marketing Digital para vender mais online com o algoritmo do Google. Confira:

1. Qualificação de tráfego

O primeiro passo para elaborar as melhores estratégias de marketing digital e vendas on-line com o robô do Google é considerar a qualificação de tráfego no seu site. A qualificação de tráfego é a atividade que você realiza para direcionar o tráfego para as páginas certas do seu site. Isso pode incluir a criação de Landing Pages específicas, o uso de anúncios para direcionar o tráfego para as páginas certas e a otimização do seu site para as palavras-chave certas.

Para isso, você deve estudar quais são as principais palavras-chaves do seu negócio e analisar o nível de autoridade que você tem que ter em cada uma delas para que o robô do Google te considere uma referência no assunto.

Você pode fazer isso através de estratégias de SEO On-Page para otimizar a qualificação do tráfego na sua página.

2. Otimização de conversão

A otimização de conversão é a atividade que você realiza para aumentar as taxas de conversão em seu site. Isso pode incluir a criação de landing pages otimizadas, o uso de testes A/B e a otimização de seu site para os conteúdos corretos.

Para isso, você deve criar duas linhas de conteúdos diferentes, mas complementares, e analisar qual delas você consegue ranquear melhor apenas com tráfego orgânico. Assim, você pode decidir qual das duas linhas de conteúdo vale mais a pena investir para ganhar mais visibilidade.

3. Geração de leads

A geração de leads é a atividade que você realiza para capturar o contato de potenciais clientes. Isso pode incluir a criação de formulários de captura de leads, o uso de anúncios para direcionar o tráfego para as páginas certas e a otimização do seu site para a experiência perfeita do usuário.

Para isso, depois que você selecionar e ranquear nas palavras chaves certas, você deve criar páginas de captura para colher as informações das pessoas que se interessam no seu negócio. Porque, com esses informações, você pode elaborar campanhas de vendas para aumentar o ticket médio da sua página.

4. Nutrição de leads

A nutrição de leads é a atividade que você realiza para educar e preparar os leads para a venda. Isso pode incluir o envio de e-mails de nutrição de leads, a criação de conteúdo especializado e a realização de webinars.

A ideia filtrar as pessoas na internet que se interessam pelo o que você oferece. Com o robô do Google isso se torna extremamente mais simples; porque, ao conciliar estratégias de Marketing de Conteúdo com SEO, você encontra exatamente leads qualificados para o seu negócio.

5. Vendas e marketing

As vendas e o marketing são as atividades que você realiza para converter os leads em clientes. Isso pode incluir a realização de ligações de vendas, a criação de propostas e a realização de apresentações de vendas.

Além disso, o Google oferece a plataforma do Google Ads como uma extensão do robô do Google para que empresas possam realizar campanhas pagas na ferramenta. Assim, com uma estratégia de marketing e vendas afiada, você pode realizar conversões rapidamente sem precisar investir conteúdo e tempo com Marketing de Conteúdo.

6. Análise de resultados

A análise de resultados é a atividade que você realiza para avaliar o desempenho de suas estratégias de marketing digital e vendas on-line. Isso pode incluir o uso de métricas, o monitoramento de resultados e a realização de testes A/B.

7. Otimização de campanha

A otimização de campanha é a atividade que você realiza para ajustar suas estratégias de marketing digital e vendas on-line para obter melhores resultados. Isso pode incluir a modificação de anúncios, a criação de novas landing pages e a modificação de e-mails de nutrição de leads.

8. Gerenciamento de relacionamento com o cliente

O gerenciamento de relacionamento com o cliente é a atividade que você realiza para manter um bom relacionamento com seus clientes. Isso pode incluir o envio de e-mails de follow-up, a criação de suporte digital e a realização de ligações de satisfação do cliente.

Com o robô do Google você pode responder diretamente as dúvidas do seu cliente!

9. Otimização de site

A otimização de site é a atividade que você realiza para aumentar o tráfego e as taxas de conversão em seu site. Isso pode incluir a otimização do conteúdo, a otimização da estrutura do site e a otimização das páginas de destino.

10. Mídia social

A mídia social é a atividade que você realiza para promover suas estratégias de marketing digital e vendas on-line nas mídias sociais. Isso pode incluir a criação de posts nas mídias sociais, o uso de anúncios nas mídias sociais e a interação com os seguidores nas mídias sociais.

Estudando a utilização do robots.txt

Todo site possui um arquivo chamado de robots.txt. Esse arquivo é o que dita como serão os diretórios e páginas do site. É necessário estudar alguns detalhes sobre esse arquivo para não cair no erro de se tornar “invisível” para o Googlebot.

Estudando a utilização do robots.txt
Fonte/Reprodução: original

Leia também: O que é SEO técnico? [15 fatores para você aplicar no seu site]

Esse é um detalhe fundamental que não pode ficar em segundo plano, especialmente se você busca obter tráfego orgânico.

Para que serve?

O robots.txt é um arquivo teoricamente simples, cujo objetivo é bloquear a ação rastreadora de robôs. No passado, na década de 90, foram muito utilizados porque os rastreadores desempenhavam sua função desenfreadamente, e isso sobrecarregou os servidores.

Atualmente, isso não é mais um problema com servidores tão rápidos. Então, hoje em dia, o robots.txt serve para trazer segurança a um site em relação aos rastreadores. Mas há muitas nuances no que podemos entender por “segurança”, pois a linguagem da programação desse arquivo deve ser perfeita para que funcione e não prejudique o site, por exemplo, diante do bot do Google.

Definições

É necessário que o arquivo robots.txt esteja no diretório superior do host. Isso significa que pode ser acessado por meio do número de porta e protocolo adequados. Para a pesquisa feita pelo robô do Google, os protocolos são especificamente os “http” e “https”.

Rastreador

Chamamos de rastreador qualquer programa cujo modo de operar seja detectar e examinar qualquer site de forma automática. Via de regra, o rastreador acessa sites públicos, que são conhecidos do host e cujos conteúdos são plenamente acessíveis a partir de qualquer navegador padrão da web.

User-agent

Já o user-agent é uma forma de identificar tanto um rastreador que seja específico quanto um grupo de rastreadores. Ao criar a programação de um site, bem como suas regras quanto ao rastreamento, o user-agent é utilizado. Por exemplo, um site pode usar o user-agent para identificar diversos bots do Google, tais quais Googlebot-News e Googlebot Images.

Diretivas

As diretivas são basicamente as diretrizes que podem ser aplicadas a um rastreador, como é o caso do robô do Google.

Diretivas principais para Robots.txt

Entre a lista de diretivas, as principais para o robots.txt, que você deve verificar para permitir o rastreio do robô do Google são as “allow” e “disallow”, as quais, respectivamente, permitem ou bloqueiam as ações do bot.

Validando o Robots.tx

Para validar o seu robots.txt é necessário não cometer nenhum erro de sintaxe ou de digitação na linguagem de programação. De forma a prevenir esses erros, o próprio Google, através do Search Console, oferece os meios para validar o seu robots. txt.

É preciso entrar no teste para validar o robots.txt. Além disso, você deve estar logado na sua conta do Google Search Console antes, para que possa selecionar qual domínio deseja testar em “Selecione uma propriedade”.

Como acessar o Robots.txt no WordPress?

Já no WordPress você pode contar com diversas ferramentas para validar o seu robots.txt, dentre as quais estão o All in One SEO Pack e o Yoast SEO. Essas ferramentas atuam diretamente pelo FTP, além de serem as principais de SEO para o WordPress.

Tão importante quanto cuidar da qualidade do conteúdo de um site é cuidar de sua estrutura. Isso inclui programá-lo para que se torne rastreável pelo robô do Google.

Portanto, não perca tempo e verifique se o seu site está apto a ser rastreado, indexado, e, consequentemente, ranqueado na busca orgânica.

guest-posts-newsletter

Insights relevantes para maximizar o posicionamento da sua marca na internet

    Deixe um comentário

    © Copyright GuestPosts 2019 - 2022. Todos direitos reservados.

    Desenvolvido por E-Inov, Layout by Agência WN